Aplicativos para organizar seu feed no Instagram

Nem todo mundo liga para a organização do feed do Instagram, e se importa mesmo em colocar ali as suas fotos e imagens preferidas, ou que deseja compartilhar com todo mundo. E realmente organizar feed não é o que vai fazer com que o perfil ganhe mais seguidores ou curtidas.

Porém, o visual fica muito mais agradável e mostra que a pessoa realmente se importa em manter a casa arrumada, digamos assim. E para quem é perfeccionista, o organizar é crucial, sendo que um feed todo bagunçado é uma verdadeira tortura.

Seja qual for o seu motivo, se você quer organizar o feed do Instagram e deixar tudo em perfeita harmonia, há algumas ferramentas que podem lhe ajudar nessa tarefa. E nos trazemos neste artigo algumas opções de aplicativos para fazer isso. Continue lendo e veja como seu feed pode ficar bem arrumado facilmente.

UNUM

O UNUM é o app mais conhecido para organizar feed, porém, somente está disponível para sistema iOS. Ele faz a importação das suas fotos já postadas no feed e ainda mantém espaço em aberto para que você acrescente mais imagens ou reorganize as fotografias.

Ainda tem recursos adicionais como figurinhas, filtros, gráficos de interação do perfil, hashtags que você costuma usar e sugere os melhores horário para fazer suas postagens. Além disso, permite recortar as fotos para postar só aquilo que realmente interessa.

Gallery Organizer

Esse é um app para quem usa o sistema Android, que é claro, também tem o direito de organizar feed como todo mundo! E a grande vantagem dele é para quem precisa administrar mais de um perfil no Instagram.

É um aplicativo muito intuito que faz simulações das postagens para que você possa ver como ficará o grid antes de colocar no ar. Dentre do próprio aplicativo você já tem a opção de fazer a postagem e compartilhar as imagens que deseja.

Planoly

Esse é um aap também para o sistema iOS e que funciona com os mesmo recursos do UNUM, oferecendo as vantagens que ele oferece. Porém, o diferencial do Planoly é que ele tem um recurso a mais.

Com esse aplicativo além de fazer tudo aquilo que você pode com o UNUM, ainda tem a vantagem de poder agendar as suas postagens. Assim, é possível organizar tudo num determinando horário, mas pedir para que o aplicativo poste somente quando você quiser. Ideal para quem não pode estar online o dia todo.

Snug

Mas se você já tem o seu editor de fotografais preferido e quer somente organizar feed, então esse app é o ideal, porque ele não tem tantos recursos para trabalhar as fotografias, mas é muito bom para manter tudo em harmonia.

Sua funcionalidade é simples, ele está disponível somente para os sistema iOS e ainda tem o fato de ser pago. Mas o preço é bem camarada, cerca de 99 centavos de dólar, o que não chega nem a 4 reais.

Organizar feed não precisa ser chato ou uma tarefa demorada, porque os apps estão aí para ajudar nisso também. Então, baixe aquele que mais está de acordo com o que você precisa e desfrute de um perfil harmônico e agradável.

santuario dos elefantes no camboja

Alguma vez em seus roteiros de viagem você incluiu também dar banho em elefantes idosos? Ou será que pelo menos brincar com um gigante desses? Tenho certeza de que você ainda não tinha pensando que isso era possível, certo?

Mas indo até o lugar certo você pode ter essa maravilhosa experiência, de interagir com os mamíferos e ainda fazer belas selfies para guardar de lembrança. Tudo isso é possível no Camboja, mais precisamente na província de Mondulkiri.

Como assim dar banhos em elefantes idosos?

DESTINOS INESQUECIVEIS PARA VIAJAR COM SUA FAMÍLIA

Você não entendeu errado, é isso mesmo. Viajando para o Camboja você pode participar do projeto Mondulkiri, que acontece nessa província localizada a cerca de 5 horas de Phnom Penh, capital do país.

Na região leste, situado nas montanhas, está esse belo santuário de vida, um refúgio para elefantes idosos com o intuito de proteger esses amimais, preservar as florestas e ainda gerar renda e oportunidades para a população indígena bunong.

O local atrai pessoas de todo o mundo, interessadas em interagir amigavelmente com esses animais e criar vínculos de afeto com eles. É possível alimentar os elefantes idosos, banhá-los no lago e brincar com eles.

E tudo isso é muito merecido, porque esses animais estão ali, protegidos, a salvo de seu passado de trabalho em madeireiras ou como atração turística em Siem Reap. No santuário não há exploração. Os animais são bem-tratados, respeitados e ninguém tem autorização para montar neles.

O projeto de Mondulkiri

O projeto Elephant Valley de proteção aos elefantes idosos começou no ano de 2013, e foi fundado pela família Tree. Eles apoiam também financeiramente a causa, porém, não fazem parte da população bunong.

Ali também há trilhas para os visitantes, a família trabalha com elas e como monitores na interação com os animais, além do conjunto de bangalôs chamado Tree Lodge. São construções simples, mas confortáveis, que dão vista para os campos de Camboja.

Os turistas também recebem instruções e esclarecimentos sobre o projeto, os objetivos a serem alcançados e também a importância dele e da preservação da natureza daquela região. Mas de tudo a parte mais interessante mesmo é interagir com os elefantes idosos.

Eles ficam em uma área restrita e protegida da floresta, estão sempre cheios de apetite e dispostos a brincar com seus visitantes. São animais mansos e que adoram ganhar um bom banho refrescante no lago.

É um projeto muito bonito, cativante e emocionante. Animais que sofreram no passado hoje recebem mimos e visitantes de várias nações, que são conscientizados sobre a importância de preservar essa espécie e ainda tantas outras que vivem por ali. É uma viagem que com certeza você não vai esquecer nunca!

 

Tirar uma fotografia é fácil, não se pode negar, mas com a qualidade de um profissional não é para qualquer um, certo? Por isso, quem deseja fazer cliques memoráveis e guardar verdadeiras obras de arte consigo, deve fazer um curso de fotografia e se tornar um profissional, ou pelo menos adquirir conhecimento.

Por que isso é relevante? Ora, não se tira uma boa foto no susto digamos assim, pelo menos a grande maioria fica com uma qualidade ruim… É preciso panejar a fotografia, escolher bem sua câmera, ajustar, encontrar o ângulo, “brigar” com a luz, entre outros detalhes.

Assim, e só assim, é possível fazer um clique realmente profissional e digno de participar de concursos como o Wildlife Photographer of the Year. Todos os anos o evento premia as melhores imagens e abre espaço para todos os países participarem.

Em 2017 foram 92 nações participantes e quase 50 mil imagens para serem selecionadas e analisadas. E o mais interessante é que o concurso abre espaço também para jovens talentos.

As categorias premiam as melhores fotografias por idade, e aceitam até mesmo participantes com menos de 10 anos. Além da idade, há também os temas que dividem as imagens em outras categorias, como “Animais em seus ambientes”, ou “Retratos de animais”.

No dia 17 de outubro de 2017 foram divulgadas as vencedoras, e no dia 20 elas estavam expostas no Museu de História Natural de Londres. Essa foi a sétima edição do concurso, e nós não deixaríamos você curioso, é claro, por isso, que tal conhecer as imagens que conseguiram seu lugar de destaque?

Memorial to a Species, por Brent Stirton venceu as categorias Adulto e Story, tirada na África do Sul.

melhores fotografias de 2017 Memorial to a Species

 

The Good Life, por Daniël Nelson – venceu a categoria de 15 a 17 anos, tirada no Parque Nacional Odzala, República do Congo.

melhores fotografias de 2017 The Good Life

 

Stuck In, por Ashleigh Scully – vencedora da categoria de 11 a 14 anos, tirada no Parque Nacional de Yellowstone, EUA.

melhores fotografias de 2017 Stuck In

 

The Grip of the Gulls, por Ekaterina Bee – vencedora da categoria menores de 10 anos, tirada numa viagem de barco pela costa norueguesa.

melhores fotografias de 2017 The Grip of the Gulls

 

The Night Raider, por Marcio Cabral – o brasileiro venceu a categoria Animais em seus ambientes, tirada no Parque Nacional das Emas, Goiás.

melhores fotografias de 2017 The Night Raider

 

Contemplation, por Peter Delaney – vencedor da categoria Retratos de animais, tirada no Parque Nacional Kibale, Uganda.

melhores fotografias de 2017 Contemplation

 

Crab Surprise, por Justin Gilligan – venceu a categoria Comportamento: invertebrados, tirada na Austrália.

melhores fotografias de 2017 Crab Surprise

 

The Incubator Bird, por Gerry Pearce – vencedor da categoria Comportamento: aves, a imagem veio do Reino Unido/Austrália.

melhores fotografias de 2017 The Incubator Bird

 

Ancient Ritual, por Brian Skerry – vencedora da categoria Comportamento: anfíbios e répteis, tirada no Parque Nacional Sandy Point.

melhores fotografias de 2017 Ancient Ritual

 

Giant Gathering, por Tony Wu – venceu a categoria Comportamento: mamíferos, foto tirada na costa do Sri Lanka.

melhores fotografias de 2017 Giant Gathering

 

Tapestry of Life, por Dorin Bofan – imagem vencedora da categoria Plantas e fungos, tirada em Hamnoy, na Noruega.

melhores fotografias de 2017 Tapestry of Life

 

The Jellyfish Jockey, por Anthony Berberian – venceu a categoria Subaquática, imagem registrada no mar do Tahiti.

melhores fotografias de 2017 The Jellyfish Jockey

 

The Ice Monster, por Laurent Ballesta – imagem vencedora da categoria Meio ambiente, tirada nos arredores da base científica Dumont d’Urville, na Antártica

melhores fotografias de 2017 The Ice Monster

 

Polar Pas de Deux, por Eilo Elvinger – vencedora da categoria Preto e branco, foi registrada no Ártico norueguês.

melhores fotografias de 2017 Polar Pas de Deux

 

Palm-oil Survivors, por Aaron Gekoski – venceu a categoria Fotojornalismo, tirada na ilha de Bornéu.

melhores fotografias de 2017 Palm-oil Survivors

Todas merecem seu prêmio, não é mesmo? Quem sabe a sua também não pode estar lá em 2018? Veja aqui dicas de fotografia

cidades para fugir do varao no brasil

Não é porque moramos em um país tropical que todo mundo gosta de calor. Há quem prefira o friozinho do inverno e baixas temperaturas, que nem sempre encontramos por aqui. Afinal, o Brasil não é frio, e em apenas algumas cidades do Sul e serranas é possível ter frio de verdade.

Mas quando chega o verão não tem jeito, o calor domina o território nacional, então, quem não gosta do sol e do calor tropical pode fugir para países onde o frio está em alta nessa época. E que tal conferir 5 dicas para escapar do calorão brasileiro? Confira a lista de sugestões a seguir.

  1. Patagônia Chilena

Por ali é frio mesmo durante o verão, que tem temperatura média de 14° C. Ou seja, nos vizinhos podemos ter uma saída e rota de fuga para quem não faz questão do calor. É uma excelente época para fazer cavalgadas, conhecer as geleiras, visitar o Parque Nacional de Torres del Paine e caminhar.

  1. Bariloche

Esse é mais um destino para quem deseja fugir sem muita burocracia e sem ir para longe demais. Aqui em nossa vizinha Argentina você encontra um clima bem agradável entre 6 e 20° C. Há opções de restaurantes bares, museus , shopping e ainda é possível até mesmo esquiar por lá.

  1. Inglaterra

Mas se você deseja mudar de continente, então sugerimos a Inglaterra, com uma parada em Londres. Ali não tem como não encontrar o que fazer, pois há opções para todo mundo. E não se esqueça de entrar no clima londrino e parar para tomar o seu chá das 5. Aproveite e conheça também Windsor, Liverpool e Oxford.

  1. Lisboa

Mas se você não quer viver um inverno muito rigoroso na Europa, então o ideal é fugir para Portugal e ficar em Lisboa, onde a temperatura no inverno é agradável, com cerca de 10° C. E ainda há a vantagem de ser fácil se comunicar com todos por lá. Além da culinária deliciosa, rica e farta.

  1. Paris

Mas para quem prefere um destino estiloso e romântico, em uma capital famosa, então vá para Paris, na França. O inverno de lá é lindo e a Cidade Luz fica maravilhosa nessa época do ano quando é calor por aqui no Brasil. Lá faz frio, mas as atracações em lugares fechados são uma boa opção, como nos restaurantes, em museus, cafés e nos eventos culturais que acontecem somente no inverno por lá.

E você? Prefere fugir ou ficar por aqui e curtir o calor tropical? Se sua intenção é escapar das altas temperaturas, agora já tem opções interessantes, basta escolher qual mais lhe agrada e fazer as malas!

Existe uma grande diferença entre simplesmente tirar uma foto e fazer uma fotografia. Isso porque registrar um momento é simples, basta apertar o botão da câmera, mas para que a imagem seja fiel ao original e não tenha nenhum defeito, é preciso preparar o equipamento.

O parasol é um acessório muito importante que possibilita melhorar a qualidade das fotografias e deixá-las com um toque profissional. E neste artigo vamos explicar o que ele é e também para quê serve. Continue lendo e descubra como pode fazer toda a diferença em suas fotografias.

O que é o parasol?

Também conhecido como lens hood, o parasol é o acessório que impede que a lente seja atingida por fragmentos de luz que são desnecessários para a foto. Ele fica encaixado na lente e limita a incidência de luz sobre ela quando a posição está desfavorável.

Pode ser utilizado tanto para a luz do sol, como também para luzes artificias. Quando a luz está numa posição ruim para o foco da fotografia ela pode criar efeitos como flare e glare, que podem ser considerados como defeitos da imagem.

Essas manchas assumem diversos formatos, como o de pentágono, círculos, heptágonos e outros. Muitas vezes essas manchas podem ter uma coloração também, que geralmente é o vermelho. Quando o flare ou o glare não são desejados na imagem, então, o parasol vem salvar o seu trabalho.

Pela posição que adere na lente, o parasol também pode ajudar a protegê-la. Isso porque ele fica a frente da lente e sua volta, assim, se você esbarrar, bater ou deixar a câmera cair, o parasol chegará primeiro ao local de impacto e a lente não sofrerá nenhum dano.

Assim, o parasol, então, numa comparação mais grosseira, pode ser similar a aba de um boné. Ela fará uma sombra na lente para reduzir a luz que é captada, e dessa maneira, você pode fazer boas fotografias ainda que o sol esteja interferindo.

E também é possível escolher entre dois modelos de parasol, que são indicados para tipos diferentes de lentes. Lembre-se de que para obter um bom resultado é essencial comprar o parasol certo, e não apenas para sua câmera parecer mais profissional.

O parasol pode ser encontrado no formato de flor ou então cilíndrico. O acessório ideal para lentes que possuem um ângulo mais aberto, como a 18-55 mm são também os mais abertos e menores, para não aparecer nas fotos.

Já para as lentes como a 75-300 mm, que são teleobjetivas, pode ser usado um mais longo. Porém, isso se você precisar comprar a parte, porque as lentes mais profissionais ou mais caras já vêm com o parasol.

Agora você já sabe como evitar os pontinhos de luz que aparecem em suas imagens, certo? Mas não se esqueça de escolher o parasol ideal ou o resultado continuará sendo insatisfatório para você.

Então a noite se inicia linda, com um entardecer digno de pinturas e uma lua magnífica no céu! Isso merece um registro, não é mesmo? Mas quando o clique é feito e a foto tirada, a expectativa é uma, porém, a realidade outra…

Uma bolinha de luz, só isso e nada mais. Nem mesmo parece que o objeto em foco era aquela imensa bola no céu. E acredito que praticamente todo mundo já tenha passado por essa frustração.

Mas hoje ela termina, porque você vai aprender algumas dicas que vão lhe ajudar a tirar boas fotos da Lua. Veja só como ter um resultado melhor do que uma simples luzinha num manto negro.

  1. Capriche no zoom

Lembre-se de que a Lua está bem longe de você, então, para ter maiores detalhes e aproximar bem a imagem, é preciso usar o zoom. Coloque esse recurso no máximo possível mantendo o foco, para que a imagem da Lua fique bem próxima.

  1. Use uma abertura baixa

Não se esqueça de que a Lua já reflete bastante luz do sol e brilha muito, o que faz com que não seja necessário usar uma abertura muito grande. Você pode manter entre F8 e F13 que já conseguirá ter um bom resultado. Se usar uma abertura muito pequena haverá superexposição e isso vai interferir na qualidade da sua fotografia.

  1. Evite ao máximo tremer a foto

Com o zoom bem aproximado qualquer pequeno movimento interfere na fotografia pode causar borrões ou desfocar. Aqui é fundamental ter mais bem firmes para conseguir uma boa imagem. Mas se você acha que algo pode dar errado, então, prefira usar um tripé para garantir de que não haverá tremores.

  1. Faça uma boa regulagem do obturador

O obturador é o que faz com que o objeto focado esteja congelado na imagem, ou seja, bem nítido e delimitado. Por isso, é importante usar uma boa velocidade para ele, como 1/250. Se você deixar a velocidade baixa a fotografia ficará embaçada. Uma velocidade alta vai deixar a lua paradinha na imagem.

  1. Use a quantidade de luz certa

A quantidade luz é controlada pelo ISO da câmera, e para que a Lua fique linda em sua fotografia é preciso ajustar bem esse recurso. É importante regular de modo que a imagem não fique granulada em sua câmera, e isso varia para cada uma.

Se você tem uma câmera boa e com uma ótima tolerância de ISO, então, pode usar um valor alto. Mas em câmeras intermediárias, com ISO que não passa de 1600, então prefira usar apenas 800. Mas isso não é uma regra, porque com ISO menor também é possível tirar boas fotos, por isso, observe em seu visor a qualidade, da imagem antes de tirar a foto.

Não se esqueça de que a melhores fotografias costumam ter todo um planejamento, ou seja, não se trata de simplesmente apertar o botão e fazer a foto. Há a escolha da lente, do ângulo, da melhor regulagem e até mesmo do horário em alguns casos. Por isso, tenha a paciência de preparar o seu equipamento para fazer uma boa imagem.

8 destinos inesquecíveis para sua viagem em família 3

Ter filhos não significa que as viagens chegaram ao fim. Existem muitos lugares divertidos, bonitos e agradáveis que a garotada também pode visitar e garantem atrações para a família toda.

Por isso, este artigo é dedicado para quem está planejando as suas próximas férias com a garotada, mas quer um passeio que realmente eles gostem e se lembrem para o resto da vida. Preparado?

Então pegue papel e caneta e anote aí os 8 destinos incríveis para viagem em família que separei para você. 4 deles aqui mesmo no Brasil e 4 no exterior. Veja só que demais!

Destinos nacionais

  1. Beto Carrero World, Santa Catarina

Não precisa cruzar oceanos para visitar um parque temático super divertido e rico em atrações. Indo até o Sul do Brasil você pode visitar o Beto Carrero World, e tenha certeza de que todo mundo vai se divertir.

São vários espaços distintos onde há brinquedos, o Mundo Animal, a Ilha dos Piratas, a Terra da Fantasia, Madagascar, aventuras radicais e ainda outros espaços que vão render momentos especiais para todos.

  1. Parque Aquático Beach Park, Fortaleza-CE

Para quem prefere ficar dentro da água e se refrescar do calorão tropical do nosso Brasil, a sugestão é visitar o Beach Park. São várias atrações num espaço bonito e bem organizado que você vai querer conhecer.

Esse parque já foi eleito o melhor do Brasil, e se você quer radicalizar sugiro que dê uma volta no Insano. Esse é o brinquedo mais radical do parque, e acredite, você vai querer ir de novo e de novo!

  1. Maragogi, AL

Quem gosta de aproveitar as férias escolares de julho para viajar tem em Maragogi o destino ideal. Isso porque mesmo nessa época do ano ali as águas são quentes, e por isso, é um dos melhores destinos para viagens em família.

Se você quiser nadar com os peixes e deixar a garotada encantada com as belezas do mar, planeje sua vigem para as épocas de maré baixa, quando o IBAMA permite essa atração. Aí sim poderá ver todo o seu colorido nas piscinas naturais.

  1. Thermas dos Laranjais, Olímpia-SP

Mais uma opção de parque aquático e que você também vai se apaixonar se for visitar. Localizado numa cidade interiorana de São Paulo, aqui há diversas atrações para todas as idades e gostos.

E o melhor é que essa cidade é muito quente, e por isso, durante todo o ano você vai conseguir aproveitar as atrações que o Thermas oferece. Não importa se nas suas férias de julho, no final do ano ou então num feriado prolongado. É sempre uma boa opção.

Destinos internacionais

  1. Orlando

Se falou em viagem em família para fora do Brasil pensou na cidade de Orlando, e por quê? Porque é ali que está localizado o Walt Disney World e também o Sea World. E quem nunca sonhou ir para lá?

Não há o que dizer de Orlando, a não ser que crianças e adultos vão se emocionar, e devem reservar alguns dias para a viagem ou não vão conseguir ver tudo. É sem dúvidas um dos melhores destinos.

  1. Valle Nevado, Santiago-Chile

Mas se o sonho de vocês é conhecer a neve, então, indo aqui no vizinho Chile você já vai conseguir realizá-lo. O Valle Nevado é a maior estação de esqui do Hemisfério Sul, e ali também havia atrações para os pequenos.

Localizado nos Andes, são 44 pistas que você pode visitar até o mês de outubro, ou seja, ideal para as férias de julho. Existe um complexo especial para crianças, onde os pequenos entre 4 e 9 anos podem aprender esqui e snowboard com instrutores.

  1. Londres, Reino Unido

E quem disse que em Londres as crianças não têm vez? Elas têm e há muito que fazer por lá. Comece programando um passeio pela Legoland de Windsor, depois, prepare a câmera para visitar as alturas da London-Eye, a roda gigante.

Mas não pare por aí. Leve a garotada para visitar o mundo de Harry Potter no Castelo e ainda a estação Hogsmead. Mas as atrações culturais também precisam acontecer, e por isso, finalize com o Museu de História Natural vendo os dinossauros.

  1. Buenos Aires, Argentina

E para finalizar, que tal conhecer a Argentina? Buenos Aires não é apenas um destino romântico, porque para viagem em família ela também tem um bom potencial. A comida é muito saborosa, e as sobremesas de alfajores e sorvetes nem se fala!

Para quem gosta de futebol uma visita ao estádio do Boca Juniors é inesquecível, e ainda há atrações culturais como o Museu das Crianças, e de lembrança, que tal um brinquedo educativo das lojas de Palermo?

Decidiu para onde ir? O jeito é praticar a democracia e deixar todo mundo votar!

Qual a vantagem de ter um smartwatch

Você se lembra daquele relógio que tinha função de calculadora? Há algum tempo aquilo era considerado como ostentação, e mal sabíamos que muito ainda estava por vir. Esse foi o antecessor do smartwatch, que traz recursos que a gente nem sonhava que seriam possíveis num relógio de pulso.

Mas será que o smartwatch é só mais uma moda que está por aí, ou ele realmente tem vantagens de uso? Se você está pensando em adquirir um, mas antes quer se informar melhor, então continue lendo este artigo e descubra os pontos positivos de mais esse recurso tecnológico.

A diferença entre smartband e smartwatch

Antes de tudo é importante que você saiba diferenciar um smartwatch de um smartband. Isso porque se você quer apenas um relógio com funções úteis para o mundo fitness, então o ideal é o smartband. Mas se você quer um pouco mais de recursos – ou muito mais – então precisa de um smartwatch.

A diferença entre eles é que o smartband não possui as funcionalidades do smartwatch, sendo que ele é voltado especialmente para quem pratica atividades físicas. Já no caso do smartwatch, ele é um gadget interessante para várias funções.

Os recursos do smartwatch

Mas vamos de uma vez explicar porque o smartwatch é um aparelho interessante para se ter. Bem, começamos pelo fato de que ele é muito prático e permite agilidade na hora de fazer consultas de dados que estação em seu celular.

Ele se conecta com o smartphone via bluetooth e você pode acessar inúmeras funções por meio dele, entre elas acessar as redes sociais, ver vídeos, fotos, reproduzir músicas, acessar mensagens de texto e também as funções do smartband.

Para quem é adepto das atividades físicas, o smartwatch também pode ser utilizado como medidor de batimentos cardíacos e ainda tem a função de GPS que controla o trajeto percorrido.

E para quem gosta de aplicativos, a boa notícia é que também é possível acessá-los pelo smartwatch. Ele roda até mesmo jogos simples, o que pode ser uma boa distração em vários momentos.

Mas é preciso lembrar que nem para tudo o smartwatch é autônomo. Algumas funções, ou sua maioria, precisam do celular para que sejam acessadas. Porém, somente a facilidade de não precisar expor o seu telefone já é uma grande notícia não é verdade?

Afinal, você pode ter mais dinamismo com o smartwatch porque ele te avisa tudo o que está acontecendo e para conferir basta olhar por meio dele mesmo, sem ter que acessar o celular. Muito mais prático e seguro, não é mesmo?

E para quem não abre mão do estilo a boa notícia é que o smartwatch possui vários modelos que combinam com todos o gostos. E se você quer uma sugestão, prefira aqueles que possuem pouca ou nenhuma borda para que ela não atrapalhe na hora de navegar pelas funções.

E antes de fazer sua aquisição, também pesquise bastante, porque as funcionalidades de cada modelo também variam, então tenha em mente aquilo que você precisa para escolher o aparelho certo, que lhe atenda da forma ideal.

cursos-de-fotografia-em-sao-paulo

Com a popularização dos smartphones e celulares com câmera fotográfica. Além das câmeras digitais, fazer fotografias se tornou rotineiro e comum para todas as pessoas. Porém, a facilidade em registrar um momento não significa que isso seja feito com qualidade.

Para que uma fotografia seja o registro perfeito de um momento é preciso que quem a tirou saiba o que está fazendo. E por isso, quem deseja fazer belas fotos ou então até mesmo começar uma carreira como fotógrafo, deve fazer um curso de fotografia.

Essa é uma maneira de dominar as técnicas da fotografia, aprender a escolher os melhores ângulos, trabalhar com luzes e sombras, definir o melhor local, explorar todos os recursos das câmeras entre outros conhecimentos fundamentais para que as imagens sejam fieis ao original.

E para que está em São Paulo fazer um curso de fotografia é muito fácil, porque existem várias escolas e instituições que o oferecem. E aqui vamos deixar para você uma lista com alguns dos melhores cursos de fotografia em São Paulo, então basta escolher o seu e começar a fazer cliques incríveis e profissionais.

  1. Senac

Oferece modalidades diferentes para o curso de fotografia, sendo cursos livres, técnicos e graduação. Assim, é possível optar por aquele que mais esteja acequiado ao que se pretende, se apenas tirar boas fotos para si ou fazer carreira.

  1. DRC Cursos

Oferece cursos de fotografia e também para edição de imagens, o que pode ser ideal para quem pretende não somente fazer registros, mas também trabalhar as fotografias dando um toque pessoal. É um centro de treinamento experiente, com mais de 20 anos de atuação.

  1. Focus

Com tradição que vem desde o ano de 1975, forma profissionais na área de fotografia dando todo o suporte teórico e técnico que precisam, essencial para dominar o universo da fotografia.

  1. Escola Panamericana de Arte

Oferece curso de formação em fotografia, e além de transmitir os conhecimentos que o profissional vai precisar para exercer a profissão, também trabalha a criatividade dos alunos para que se tornem profissionais completos.

  1. Cine Clube Bandeirantes

Com 75 anos de tradição, essa é uma das escolas mais tradicionais de São Paulo, e apontada como uma das mais importantes também. Oferece cursos de fotografia tanto para amadores como para profissionais.

  1. Full Frame

Com fundação datada de 2007, a escola já formou 3.000 alunos e oferecer cursos de fotografia em diversos níveis, para que tanto aqueles que não têm conhecimentos, como os que pretendem aperfeiçoá-los, encontrem ali o que precisam.

  1. IIF – Instituto Internacional de Fotografia

O IIF oferece cursos de fotografia também em formato livre e outros voltados para os profissionais da área. Atende tanto experientes como também pessoas amadoras. E segundo os profissionais é uma das melhores escolas de fotografia.

  1. Escola São Paulo Economia Criativa

E por fim, mas não menos importante, esse curso de fotografia também atende profissionais e amadores, e traz conhecimentos básicos e outros que vão até a fotografia para moda e ainda fotojornalismo.

Seja para suas selfies e fotos pessoais, ou então para se tornar um fotógrafo profissional, você pode optar por um desses cursos e descobrir o maravilhoso mundo da fotografia.

 

viagens-para-o-jalapao

Localizada no estado do Tocantins, Jalapão é uma região do cerrado brasileiro que engloba vários municípios. Sua área total é de 34 mil km² e ali também se localiza o Parque Nacional do Jalapão.

Para quem gosta de ecoturismo essa é uma viajem que vai entrar para as melhores de sua vida. Porque o Jalapão é repleto de belezas naturais, e considerado o maior bloco remanescente de vegetação nativa de todo o território brasileiro.

Mas para aproveitar bem essa viagem, as belas cachoeiras, os fervedouros, as dunas de areia e belíssimas paisagens, é fundamental não ter dúvidas. Por isso, neste post você vai encontrar as respostas para as principais perguntas de quem está pensando em viajar para o jalapão. Veja só.

  1. Quais transportes chegam ao Jalapão?

Ir de avião até o Jalapão não é possível, porque lá não há aeroportos. Então, o jeito é seguir por terra, mas você pode voar até a capital Palmas e depois seguir de carro até o seu destino utilizando as rodovias.

  1. É verdade que vou precisar de um carro com tração?

Sim, é verdade, porque as estradas são de terra ou de areia por lá, e carros sem tração 4×4 costumam ficar atolados. E mais, além de um carro prefira seguir viagem com um motorista acostumado com estradas de areia, porque o terreno é traiçoeiro.

  1. Vou precisar de um guia para viajar pelo jalapão?

Você não precisa necessariamente de um guia para conhecer o local, porque isso não é obrigatório. Porém, considere que a região tem um acesso difícil, a cobertura de telefonia móvel é precária e as estradas mal sinalizadas.

Por isso, para quem não deseja ficar pelo caminho sem socorro e comunicação, é preferível contratar um tour pela agência ou então um guia particular quando chegar lá.

  1. Qual é a melhor época para viajar para lá?

Quanto ao calor não se preocupe, porque no Jalapão a temperatura média é de 30°C o ano todo. Mas para aproveitar melhor sem a secura do ar ou o excesso de chuvas, o ideal é ir para lá no começo da seca, que seria entre os meses de maio e julho.

Isso porque o ar ainda está com boa umidade relativa, a vegetação está verde e não há muitas chuvas para atrapalhar a viagem. Mas o pôr-do-sol mais bonito está no final da seca, porém, pode haver desconforto com a secura do ar e sensação térmica.

  1. Quais são os pontos mais bonitos do Jalapão?

Toda a região do Jalapão é belíssima, mas podemos indicar alguns pontos que vão ficar em sua memória. Se você for para lá, não deixe de conhecer:

  • as Dunas do Jalapão – ideais para ver um pôr-do-sol;
  • a serra do Espírito Santo – o nascer do sol é belíssimo;
  • a Cachoeira do Formiga – tem uma quantidade incrível de verde;
  • a Prainha do Rio Novo – o lugar ideal para fugir de tudo e relaxar;
  • a Cachoeira da Velha – perfeita para praticar rafting;
  • o Fervedouro do Ceiça – você não vai esquecer a sensação de flutuar ali.

Agora você já sabe como chegar lá, os desafios que pode encontrar e o que deve visitar. Então, é hora de fazer as malas e seguir rumo a um dos mais belos destinos do Brasil. E não se esqueça de registrar tudo, porque você vai querer ver e rever inúmeras vezes.